quinta-feira, 9 de julho de 2015

NOVIDADE: VetVlog!

Hoje eu vim divulgar um projeto pessoal que estava engavetado há muito tempo, mas que, agora, eu finalmente consegui tirar do papel: o VetVlog!

Sempre gostei muito de conversar com meus calouros sobre as nuances da faculdade e sempre quis ter um vlog, então resolvi unir o útil ao agradável, hahaha! Eis que surgiu o VetVlog há alguns anos, mas infelizmente eu não tive tempo nem ideias para atualizá-lo. Não que eu tenha muito tempo agora, mas ideias e vontade não faltam!

Nesse novo primeiro vídeo, falo um pouco de como é a faculdade de medicina veterinária, principalmente para novos calouros e pré-vestibulandos! Acho que é uma ótimo assunto para que possam entrar na facul com o pé direito :D.

Espero que gostem, deem like, jóinha, comentem, se inscrevam no canal e compartilhem! :D

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Nova Edição do Nelson & Couto!

Galera!

Estão sabendo que já está disponível a nova edição do Nelson & Couto?!

O pessoal lá da Elsevier mostrou pra gente em primeira mão, e essa nova edição é sensacional! Olha só: http://bit.ly/1zFlWn1

E tem mais! Se você quiser baixar um trecho do livro pra saber como ficou, é só clicar no link: http://bit.ly/1C22iRz

--------

O livro Nelson & Couto – Medicina Interna de Pequenos Animais 5ª edição auxilia o estudante a identificar, estabelecer diagnósticos e tratar os distúrbios mais comuns de medicina interna de modo eficaz!

Esta nova edição do livro clássico da medicina interna enfatiza as abordagens diagnósticas práticas e enfoca os aspectos clínicos relevantes do tratamento médico completo do paciente. Ilustrações coloridas, quadros e algoritmos – além de novas fotografias, representações esquemáticas e tabelas atualizadas – são os diferenciais deste livro.

• Abordagem lógica
• Conteúdo revisado e atualizado
• Orientações claras, passo a passo
• Cada colaborador é um especialista de renome em sua especialidade
• Diretrizes inteiramente atualizadas
• Excelentes fotografias coloridas e tabelas para consulta rápida

Tá esperando o quê?! Aproveita! :D

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

O primeiro diagnóstico a gente nunca esquece!


Caraca, há quanto tempo que eu não escrevia aqui, hahaha! Fazia muito tempo que eu queria compartilhar com vocês uma coisa que a gente nunca esquece: nosso primeiro diagnóstico. É um sentimento realmente excitante e, quando você consegue chegar lá, por mais simples que seja, aí sim você acha que nasceu pra isso, nasceu pra ser médico(a) veterinário(a)!

Bom, o meu primeiro diagnóstico all by myself foi há alguns meses, logo que entrei na residência. Na verdade, foi na segunda semana de residência. Eu estava rodando pelo setor de reprodução de pequenos animais, ao qual eu havia prestado prova (aqui na faculdade os R1s rodam entre todos os setores de pequenos, cada mês em um setor).

Subiu para mim, para consulta, uma cadelinha de 2 anos e porte médio chamada Mel que, segundo o proprietário, estava com sangramento vaginal há uns 5 dias. Fiz citologia vaginal e, além das hemácias, as células eram características de anestro, e também não tinha nenhuma célula parecida com TVT. Na palpação também não tinha nada diferente, e na vaginoscopia também não.

No hemograma, ela tinha anemia leve, e uma leucopenia leve também (não lembro os números e nem a contagem diferencial, haha, mas algo em torno de 5-6 mil leucócitos). As plaquetas estavam normais. Aí pensei "eepa, tá meio estranho isso aqui!" haha. Como o sangramento continuava, encaminhei para ultrassom abdominal. O interessante é que o proprietário disse que era sangue mesmo, não em grande quantidade, mas era sangue. Piometra com leucopenia é difícil né, haha, mas nada excluísse uma hemometra, talvez.

O estalo veio junto com o laudo: aumento leve uterino, com presença de pouca secreção intrauterina. Mas o bacana veio em uma observação do ultrassonografista: imagem diferencial para aborto. Oopa, quais são os diferenciais para aborto? Existem vários e vários, mas uma coisa muito comum aqui na região é a tal da... leptospirose!

Não deu outra, enviamos urina para campo escuro e logo ali já deu positivo para lepto. Fizemos PCR também, não me lembro os sorovares, mas já foi o suficiente para entrar com tratamento e orientar o proprietário sobre os cuidados com zoonoses e tal. Infelizmente a cadelinha não voltou mais nos retornos, mas acredito que ela tenha ficado bem, pois não tinha nenhuma outra sintomatologia. Inclusive, apresentava leucopenia, o que é incomum em lepto, mas já valeu como uma ótima lição!

E com vocês, quais foram seus primeiros diagnósticos? Espero que tenham ficado tão felizes quanto eu, hahaha! Postem nos comentários, afinal, a troca de experiências é sempre bem vinda! :D

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Steve Jobs já quis ser veterinário!

AHEOIHAEIUHAEIUHOIAEUAE, droga, achei que era só comigo!

domingo, 25 de maio de 2014

Dicas que vão facilitar a sua vida durante o TCC!


Faaaaala, depressivos de plantão! Como havia prometido lá no facebook, hoje sai a postagem com algumas dicas para a galera que vai começar ou já tá fazendo o TCC. O texto ficou um pouco extenso, mas espero que seja útil pra vocês e que ajude a evitar certos perrengues que sempre passamos quando estamos na fase de monografia. Então vamos lá:

:: Comece com Antecedência
Bom, essa é a coisa mais importante para o seu TCC: Ter tempo! Não adianta nada ter ideias e recursos para fazer coisas geniais, se não tiver tempo para realizá-los. Parece clichê, afinal, todos os professores vivem falando isso. Mas quando chega a hora e a gente têm que começar a fazer, percebe que era bom ter seguido os conselhos sobre isso. Não sei se em todas as faculdades é assim, mas onde estudo é preciso apresentar um pré-projeto no penúltimo período. Por conta disso, a gente acaba tendo 2 semestres pra trabalhar o TCC, o que é tempo suficiente para fazer um bom levantamento bibliográfico e realizar seus experimentos. Minha sugestão, então, é que procurem começar a pensar e por em prática seus TCCs com 2 semestres de antecedência.

:: Área de Afinidade
A escolha de um tema com certeza é um dos pontos mais delicados do TCC. Isso porque ou você tem muitas opções e não sabe por qual optar, ou porque você não tem nenhuma opção em mente e não sabe o que escolher. A minha sugestão aqui é escolher um tema em uma área que você tenha afinidade, para que seja prazeroso realizar o trabalho. Imaginem: Se pra quem está fazendo o TCC sobre um assunto que gosta de estudar já é cansativo, para aqueles que pegaram qualquer tema só por indicação ou conveniência será necessário mais esforço e paciência. Se você não tem ideia de um título ou assunto delimitado, mas sabe em qual área quer desenvolver seu trabalho, procure pelo professor responsável pela disciplina da área na sua faculdade. Ele poderá ser seu orientador e com certeza terá dicas e sugestões bastante interessantes para você.

:: Escolhendo o Orientador
Seu orientador é figura fundamental para o seu trabalho. É ele quem tem domínio do tema e vai ter guiar na pesquisa. Por isso é importante escolher um orientador que tenha tempo para te ajudar. Isso não significa que seu orientador tenha que cumprir as atividades do TCC com você ou por você, mas sim que ele precisa ter tempo para te dizer quais caminhos seguir e corrigir o que estiver sendo realizado.

:: Não depender dos Outros
Aprendi isso por experiência própria. Quando estava na fase experimental do meu trabalho, meu orientador solicitou ao departamento de engenharia elétrica da minha faculdade que construíssem um dispositivo para realização de alguns testes. Ficaram na promessa de entregar o aparelho e 5 meses depois não vimos nem a cor. Por conta disso eu só consegui iniciar meus experimentos quando eu mesmo pesquisei e construí o tal equipamento em casa.
O que quero dizer com isso é que é importante que se tenha pró-atividade. Se no seu trabalho você precisa realizar testes, exames, cálculos... Tente aprender a fazê-los e faça-os você mesmo. No mínimo, você vai ganhar conhecimento e tempo.

:: Leia Bastante
Leia muito! Qualquer trabalho bom necessita de um bom levantamento bibliográfico. Isso vai te conferir embasamento sobre o seu assunto, olhar crítico e, é claro, um aprendizado enorme. Procure por artigos, teses e outras monografias com abordagens semelhantes às suas. Isso te ajudará a desenvolver uma metodologia consistente, utilizar técnicas já conhecidas ou mesmo adaptá-las às suas condições. Ler outros trabalhos também irá te ajudar caso você tenha dificuldade para escrever.

 :: Metodologias e Resultados
Aconteceu comigo. Por isso achei interessante escrever este tópico. As vezes não temos tantos recursos para desenvolver um experimento (dinheiro, equipamentos...). Mas não deixe que isso te desanime. Na veterinária somos todos MacGyvers, então, improvise! Estude o método original e busque alternativas para adaptá-lo dentro das suas possibilidades. É evidente que a sua adaptação deverá respeitar os aspectos preconizados pela pesquisa, como padronização e repetibilidade. Mas, seguindo estes critérios, métodos adaptados são perfeitamente aceitáveis. Em relação aos resultados, também não desanime caso seus resultados não sejam os esperados. Resultado negativo também é resultado e isso não desmerece em nada o seu trabalho.

:: Peça Opiniões
Procure conversar com professores, profissionais e outros alunos que tenham conhecimento da área ou que já fizeram trabalhos semelhantes. Eles com certeza terão opiniões e boas sugestões para dar.

:: Organize-se!
Se você quer poupar tempo e paciência na reta final do trabalho, mantenha-se organizado desde o início. Quando baixar um artigo, salve-o renomeando para o título do trabalho ou para os nomes dos autores com o ano, assim como referenciamos nas citações. Afinal, é muito mais fácil encontrar o arquivo “FULANO, 2014.pdf” do que “12334242 (2).pdf” em qualquer pasta do computador. Por falar em citações, é fundamental que você não se esqueça de referenciar nenhuma citação do trabalho! Uma sugestão: Não escreva todo o trabalho em um documento só. De início, salve cada capítulo do trabalho em um documento próprio do Word (por exemplo, um arquivo para introdução, outro para revisão de literatura do item A, outro para a revisão de literatura do item B, outro para os materiais e métodos, e assim vai...) e ao final de cada arquivo referencie as citações que utilizou no texto. Quando estiver tudo pronto é só copiar todas elas, retirar as repetições, e colocar ao final do trabalho. É muito mais prático conferir 5 ou 10 citações por capítulo do que conferir 40, 50 ou 60 no final do trabalho todo. Não se esqueça de manter backups atualizados para evitar dores de cabeça. Para isso, existem opções de salvamento de arquivos na nuvem (online) como o Dropbox e o Google Drive, que possibilitam que você faça download de qualquer computador com internet.

:: Formatação
Provavelmente essa é a parte mais chata, pois inclui muitas normas e detalhes que variam de faculdade pra faculdade. Pra quem tem alguma dificuldade em formatação de arquivos no Word (confecção de tabelas e gráficos, numeração e quebras de página), a dica é procurar por tutoriais no Youtube. Existem vídeos muito práticos e objetivos ensinando essas coisas.

:: Reta Final
Aê! Já tá tudo pronto e você está às vésperas da entrega! O que tinha que ter sido feito, foi feito. PELAMORDEDEUS não invente nenhuma mudança drástica no seu conteúdo. Mesmo que existam alguns itens frágeis, se você não tiver tempo para corrigi-los, não corrija. É melhor entregar um trabalho com alguns itens a serem corrigidos pela banca, do que perder o prazo e não entregar trabalho nenhum. Então lembrem-se: Na véspera e no dia da entrega, corrijam erros ortográficos e de digitação. Mexer nos seus resultados ou em outros capítulos, se não for algo muito simples, pode acabar atrapalhando.

:: Apresentação
Aqui é o seu dia. Sempre bate um frio na barriga, mas tenha em mente que foi você quem passou seus 6, 8 meses parindo esse filho fazendo o TCC e que tem completo domínio do assunto, afinal, você seguiu as dicas anteriores e está bem preparado. O seu maior inimigo aqui será o próprio nervosismo. Então, treine bastante sua apresentação. Faça amigos, parentes, namorada(o), cachorro e papagaio de cobaias para assistirem seus treinos. Apresente também para seu orientador, ele terá observações importantes sobre sua postura e suas colocações na apresentação. Algumas pessoas ficam tão nervosas que acabam apelando para medicamentos para controlar a ansiedade. Muitos optam pelo famoso Rivotril. Vale lembrar que os fármacos do grupo das benzodiazepinas, apesar de seguros, têm potencial de afetar a memória de diferentes maneiras. Então, cuidado para que não saia como um tiro no pé. A melhor maneira de controlar o nervosismo será sempre o preparo, treinamento e conhecimento prévios.


É isso, pessoal! Espero ter ajudado! Caso tenham gostado, deixem seus likes e compartilhem a postagem no facebook. Bom TCC a todos vocês!