Artigos

Dicas para calouros de veterinária

Acabou de entrar na faculdade de veterinária? Aproveite nossas dicas para se dar bem logo no começo!

“O que irei estudar no primeiro ano?”

“Não tem nenhuma matéria de veterinária nessa grade curricular não?”

“Nooossaa cara, olha essa pata! Que que é esse líquido, é formol?!”

“Histologia? Isso é de comer?”

Todo mundo quando passa no primeiro vestibular e entra na faculdade fica meio perdido. Eu mesmo senti muita dificuldade em “me encontrar” no primeiro ano de curso. Confesso que boa parte foi devido às festas e mais festas que aproveitei enquanto era calouro, mas percebi que um certo direcionamento poderia me ajudar muito.

Sentindo esta necessidade, resolvi criar um “guia” para os calourinhos do primeiro ano que entram na faculdade e mal sabem o que é um estágio ou não tem ideia do que irão encontrar pela frente durante o curso.

1º Passo – Faça amizades.

Parece meio óbvio isto, visto que você terá uma nova turma inteirinha para conhecer. Mas isto só faz realmente sentido se você se mudou para uma nova cidade para fazer vet. Pode parecer besteira, mas muitos dos meus amigos que fazem outros cursos não conhecem, ou mal conversam com os colegas de turma. Na minha sala é bem diferente, visto que uns 90% dos alunos são de fora, o que acaba fazendo com que o pessoal se torne bem unido. Mas mesmo assim, sempre há aquelas pessoas mais fechadas que não interagem com ninguém. Isso acaba se tornando, de certa forma, prejudicial a estas pessoas. É sempre interessante ter um bom relacionamento com todos do curso, sejam elas alunos, professores ou funcionários, afinal, são estas pessoas que podem te indicar para um estágio fodástico ou para aquela bolsa de iniciação científica que aquele professor tem sobrando, mas não fala pra ninguém ;).

2º Passo – Tenha um bom relacionamento com seus professores.

Eu sei que às vezes isso parece uma missão impossível, mas tente fazer o máximo para ter um bom relacionamento com seu professor. Na maioria das faculdades os professores dos primeiros ano muitas vezes não são nem veterinários, mas além de sempre haver a possibilidade de terem projetos de pesquisa interessantíssimos (com biologia molecular, por exemplo), são eles quem poderão te dar aquela força para conseguir aquele estágio que você sempre quis com os professores dos departamentos de veterinária.

Calouras da UFRRJ

3º Passo – Pisou na faculdade, procure um estágio.

Ouviu bem? Pisou na faculdade, PROCURE UM ESTÁGIO!

“Ah mas estou no primeiro ano e não sei nada ainda!”

Ninguém nasceu sabendo, ou seja, procure um estágio!

Uma coisa que me irritava muito, eram os veteranos sempre dizendo que os estágios em laboratórios eram chatos, e influenciando os calouros à não procurar os professores de medicina veterinária preventiva. Só que estes mesmos veteranos não sabem que são os professores dos laboratórios que detêm a grande maioria das bolsas de iniciação científica e mestrado destinadas à veterinária.

Faça estágio onde tiver a oportunidade e sem preconceitos! Fazendo estágio desde o primeiro ano você irá para os estágios de clínica com muito mais base do que se tivesse começado direto, seja em como lidar com seu orientador, ou até mesmo no atendimento às pessoas.

Dica: poderá também avaliar os dois lados da moeda e tirar suas próprias conclusões. Conforme for avançando no curso, verá que o povo dos laboratórios sempre fala mal do povo da clínica e vice-versa, é sempre assim! haha

Dica 2: não seja materialista, afinal, você nunca conseguirá estágio remunerado na medicina veterinária, a não ser que seu pai seja dono de uma clínica ou dono de uma fazenda. Praticamente TODOS os estágios em medicina veterinária não são remunerados, principalmente estágios em clínicas particulares, a não ser que o veterinário queira que você fique atendendo telefone ou limpando baia. Nosso estágio é baseado em observação, e para que alguém irá lhe pagar para ficar assistindo enquanto ela mesmo faz o procedimento? Isso foi um ponto em que a lei do estágio nos prejudicou bastante.

Dica 3: não saia desesperado por bolsas de IC ou de programas, nenhum professor irá lhe dar uma bolsa só por você pedir. Verifique com o pessoal ou entre no site da facul e descubra quais são os professores que tem bolsa e grude neles, peça estágio simples (não remunerado) e depois de algum tempo ele dará crédito ao seu esforço.

4º Passo – Estudante de veterinária não tem final de semana e nem férias.

Isso, é claro, se você quiser ser um bom profissional no futuro. Se um professor pedir para que você vá ao hospital no final de semana fazer seja lá o quê, vá. Já perdi uma ótima oportunidade negando isso.

As férias são o melhor período para realizar estágios. É quando você não tem nenhuma preocupação com aulas e provas, e quando tem mais tempo disponível. Em um mês de estágio nas férias você pode conseguir mais de 200 horas de certificado, coisa que demoraria o curso inteiro para conseguir em período letivo. Lembre-se que quanto mais horas de estágio você tiver, melhor o seu curriculum, e mais chances de passar na residência depois de formado!

5º Passo – Faça quantos cursos seu bolso permitir

O bom de estar na faculdade é que você pode participar de vários cursos excelentes à um preço de banana de 90… 100 reais. Sim, isso é muito barato perto dos cursos que você terá que fazer lá fora, portanto, não perca nenhuma chance de realizar um curso destes que possa ser do seu interesse.

“Ah mas to no primeiro ano e não sei nada”.

Olhe novamente o item 3, e mesmo que você não entenda nada, se tiver grana pra pagar faça, pois de qualquer forma será um certificado a mais pro seu curriculum. Se não tiver grana, procure o centro acadêmico, peça para participar e agite os cursos você mesmo com os professores!
Empresas júnior também são bastante válidas nesse quesito, procure se informar à respeito!

6º Passo – Faça quantas atividades extracurriculares conseguir

Na verdade valem as mesmas dicas que a do estágio. Atividades extracurriculares são muito importantes para você interagir com a faculdade, poder ir para outras cidades, e principalmente para os professores ficarem te conhecendo melhor.

Já assistiu aquele filme “sim senhor”? Então, encare mais ou menos que toda experiência que você adquirir na faculdade é válida, seja ela ruim ou boa! Diga sim para tudo!

7º Passo – Não tenha medo de dar a cara a tapa

Essa parte eu acho fundamental. Muitas das pessoas que estudam comigo tem medo de ir conversar e pedir as coisas paras os professores. Cara, o máximo que vai acontecer é você levar um não. Além disso, não vai demorar nem 2 minutos e o professor não vai mais nem lembrar de você.

Se você realmente estiver com muita vergonha, mande um e-mail antes e peça para conversar ou marcar um horário com ele, aí você já tem uma ideia de como vai ser através do e-mail que ele lhe responder.

8º Passo – Compre livros

Procure sempre ter o máximo de livros que puder, e não os venda depois de terminar a matéria! Eu sei que é muito complicado comprar todos os livros que os professores pedem e que isso envolve muita grana, mas tente comprar pelo menos os das principais matérias. Primeiro que os professores que pedem livros normalmente retiram sua prova toda deles (ou seja, se você o ler, já vai ter uma boa base do conteúdo do teste), segundo que você sempre poderá usar este livro em matérias futuras.

Para quem tem vontade de queimar o livro de histologia depois que passa de ano, por exemplo, não se esqueça que este mesmo livro pode ser muito útil na matéria de anatomia patológica!

Clique aqui para conhecer os livros mais usados na medicina veterinária.

9º Passo – Não despreze nenhuma matéria

Eu sei que algumas matérias são realmente um saco! Mas nunca diga “não irei usar isto pra nada”, não tenha preconceito com nenhuma matéria, afinal, você nunca sabe quais são as oportunidades que podem bater na sua porta.

10º Passo – Sabe inglês? Não? Tá esperando o que? Sabe? Comece outra língua!

Este é um item que eu acho pessoalmente importante e que muitas pessoas não dão bola.

Você sabe falar inglês? Se souber ótimo, procure o quanto antes alguma outra língua para começar a fazer, principalmente se seu orientador possuir contato com universidades de fora. Se não souber, faça a inscrição para um curso pra ontem! Vários livros disponíveis nas bibliotecas são em inglês, e você definitivamente não passará em nenhum concurso de importância se não for fluente, principalmente se almeja emprego em alguma multinacional.

Não se esqueçam que o CNPQ e a CAPES estão com vários programas para mandarem estudantes para fora na faixa e com bolsa mensal de 800 dólares, mas isso só para quem estiver inscrito em programas de iniciação científica e for fluente na língua do país de destino.

O legal é que a maioria das grandes universidades tem laboratórios de línguas, nas quais os cursos de línguas estrangeiras são absurdamente mais baratos. Aqui na UEL eu fiz 1 semestre de Francês e paguei apenas R$100,00. Em algum curso particular esse valor saltaria fácil para uns R$700,00 ou mais. E o legal é que por serem professores dos departamentos de letras, todos falam fluentemente (pelo menos a minha professora parecia até ser francesa!).

11º Passo – Sabe aquela frase “Fiz veterinária porque não gosto de gente”? Esqueça ela!

É sério, não estou zuando. O que você mais terá que fazer durante sua vida acadêmica e profissional é lidar com pessoas. Principalmente se você quiser trabalhar com clínica particular. Ouso até mesmo dizer que é mais fácil conseguir emprego aquela pessoa mais extrovertida do que aquela mais capaz, afinal, não adianta nada você ser um excelente profissional se não consegue convencer seu cliente dos melhores métodos de tratamento.

Portanto, trate mão de começar a ter contato com as pessoas!

Bom, acho que era esse o recado que tinha para dar neste primeiro post do blog. Espero que tenham gostado (que não tenha sido cansativo), e que tenha sido útil para os calouros nestas férias. Quaisquer dúvidas ou sugestões são sempre bem vindas!

Next Article
Criou o Vet da Deprê em 2011, quando ainda estava na faculdade. Hoje é Mestrando em Ciência Animal pela Universidade Estadual de Londrina. Gosta muito de marketing digital, é cachorreiro nato e não dispensa um bom livro.