Artigos

Qual disciplina da Vet você faria novamente?

Tenho aproximadamente 7 anos de formado e em diversos momentos da minha vida, quer seja no Mestrado ou na indústria (atuei em um abatedouro-frigorífico de frango), percebi que algumas matérias do curso da Veterinária deveriam ser refeitas, a fim de melhorar meu desempenho profissional. Ilustrando um desses momentos de reflexão foi num dado período quando entrei na indústria de alimentos e percebi uma defasagem nos conceitos de Programas de Autocontrole Industrial como BPF (Boas Práticas de Fabricação) e APPCC (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle). Para “correr atrás do prejuízo” tive que pagar por cursos lecionados por especialistas.

Essa defasagem pode acontecer por:

  • Negligência do aluno em prestar atenção nas aulas teórico-práticas;
  • Descompromisso do aluno em estudar conteúdos adicionais indicados pelo professor e
  • Falta de didática do professor em lecionar e/ou falta de experiência prática onde ambos dificultam a absorção do conteúdo pelo aluno.

* os dois primeiros itens podem acontecer pelo desinteresse do aluno na área.

Quando trabalhei no SIF (Serviço de Inspeção Federal) recordo-me de algumas situações que também geraram nostalgia por certas disciplinas. Citarei apenas duas, mas saiba que frequentemente pensava em outras.

a. Patologia Clínica.

Por eu ter trabalhado com lesões em carcaças e vísceras, constantemente enviávamos material para análise histopatológica e em todo procedimento de coleta, acondicionamento em formol, etc. me vinha à mente as aulas da professora Celmira. Eu também era responsável pelo treinamento da equipe, então compreender as lesões anatomopatológicas ajudava a “traduzir” numa linguagem mais compreensível para os colaboradores, como por exemplo quando tínhamos casos de hepatomegalia, dermatose, salpingite, celulite, etc.

b. Ornitopatologia/Doença das aves

Eu não era muito fã da avicultura e suas vertentes, gostava mesmo era de inspeção e tecnologia de produtos de origem animal. Mal eu sabia que iria trabalhar em um abatedouro-frigorífico… de FRANGOS. E como funcionário do SIF, tive que estudar o PNSA (Plano Nacional de Sanidade Avícola) que contempla doenças como NewCastle, Influenza Aviária, Salmonelose e Micoplasmose. Lembrei da querida professora nipônica Yurika!

Não sou capaz de voltar no tempo, portanto minha missão agora é poder aconselhar vocês a não cometerem os mesmos erros que os meus. Posso dizer uma coisa? Anote aí:

Aproveite ao máximo todas as disciplinas da Veterinária, independente de sua afinidade por alguma área.

É uma árdua tarefa se dedicar a duas ou mais disciplinas ao mesmo tempo, eu sei. Uns amam as clínicas outros a produção animal e por aí vai. No fim acabamos nos dedicando àquilo que nos dá prazer, mas a vida é uma caixinha de surpresas. Pode acontecer que no futuro algumas matérias lhe farão falta, mas aí tarde demais… você terá que fazer um esforço maior para recuperar o que você perdeu. Claro que cursos e especializações são bem vindos (até mesmo necessários) para alguém que saiu da graduação bem instruído em determinada área, mas entenda que a dor pode ser amenizada se você estudar tudo aquilo que foi proposto pela Universidade e o Programa neste exato momento.

Agora conta pra gente sua história ou

QUAL DISCIPLINA VOCÊ FARIA NOVAMENTE?

Previous ArticleNext Article
Médico veterinário com especialização em Ciência Avícola e atual mestrando em Ciência de Alimentos pela Universidade Estadual de Londrina, tem experiência em Inspeção e Tecnologia de Produtos de Origem Animal. Humberto é amante de viagens internacionais e da arte marcial israelense Krav Maga.